Notícia

Entrevista Exclusiva: "Jovem Advogado. Pense Grande!"
SB na Frente

“Pense Grande!”

 

Em entrevista exclusiva para a Selem, Bertozzi Consultoria, o presidente da Comissão Nacional da Advocacia Jovem, Alexandre Mantovani, fala sobre os desafios do advogado em início de carreira. Da nada simples sobrevivência do escritório nos primeiros anos, aos cuidados com modismos e reais escolhas para a especialização do advogado, ficam como urgências, o empreendedorismo e a visão de gestão sem a perda das oportunidades para a construção da carreira.

SB- Como a OAB se voltou para a qualificação e preparação dos advogados em início de carreira?

A OAB Nacional tem uma preocupação constante com a qualidade dos cursos jurídicos do Brasil. Na verdade, todas as Comissões do Conselho Federal (CFOAB) têm trabalhado em sintonia e com observância a essa preocupação. A nossa Comissão, da Advocacia Jovem, tem a necessidade de qualificação e preparação da Advocacia em início de carreira como uma das suas prioridades. Um dos pontos da “Carta de Natal”, que coroou a II Conferência Nacional da Jovem Advocacia (realizada em março passado), consignou “a constante luta pela qualidade do ensino jurídico e pela capacitação continuada no país”.

SB- O Brasil segue disparado como o líder mundial no número de cursos de Direito. Como é vista a qualidade educacional no preparo dos advogados do futuro?

Essa preocupação aflige a advocacia em geral. A Comissão Nacional de Ensino Jurídico é o órgão opinativo aos pedidos de aberturas e novos cursos jurídicos no Brasil e atua, seja ao cuidado constante com o Exame de Ordem, ou através do enfrentamento das causas contramajoritárias relativas ao direito à capacitação continuada para a Advocacia do Futuro.

SB- É consenso que a grande maioria dos advogados busca seguir a carreira liberal e autônoma. Quais as saídas e caminhos deste novo profissional muitas vezes sem a instrução para a atividade empreendedora?

É necessário que os advogados e as advogadas busquem os caminhos do empreendedorismo para o enfrentamento dos desafios da profissão. O Plano Nacional de Apoio e Valorização da Jovem Advocacia, advindo pelo Provimento n. 162/2015, do CFOAB, traz as diretrizes básicas para esse fomento e a “Carta de Natal” também trouxe a deliberação sobre “a inserção da Jovem Advocacia, a promoção do empreendedorismo e o fomento para a criação do primeiro escritório”. A capacitação constante é uma das formas de empreender. Sair da “zona de conforto” e explorar desafios a partir do conhecimento pode ser um dos primeiros passos para a concretização de sucesso.

SB- Questões como recolhimento de tributos, pagamento de funcionário, emissão de guias, notas fiscais, atividade de marketing jurídico, provisão de receitas e despesas, metas anuais. Como minimizar a falta da prática e das novas problemáticas no ingresso em um mercado de trabalho altamente concorrido?

Programas de treinamentos, cursos de gestão de escritório, marketing pessoal e administração financeira são, a meu ver, excelentes oportunidades para crescimento. A idéia da organização do tempo, relacionamento com clientes e a busca do autoconhecimento são necessários nos dias de hoje para o aperfeiçoamento profissional.

SB- Os novatos se deparam com as enormes dificuldades em gerir seus gastos e receitas, prospectar clientes, divulgar seus serviços de maneira ética e atrativa. Como sobreviver de forma estável no mercado de trabalho?

De fato, num universo com mais de 1 milhão de advogados e advogadas é preciso enfrentar as dificuldades de gerência com gastos e receitas, especialmente àquelas advindas no início de carreira. A gestão do primeiro escritório deve ser aprimorada e a busca de conhecimento nessa área é um dos primeiros passos a ser seguido.

SB- Aspectos financeiros. Como se manter nos primeiros anos da profissão? Advogado autônomo, empregado ou associado, constituir uma sociedade ou montar seu próprio escritório?

A Advocacia é uma linda profissão com várias oportunidades de atuação, seja como autônomo, empregado, associado, ou montando seu próprio escritório. As oportunidades devem ser aproveitadas e o caminho do empreendedorismo é necessário. Busque atualização e “pense grande”. A Jovem Advocacia tem espaço como qualquer outro profissional.

SB- A alta especialização ou a “era dos especialistas” é realmente uma forte tendência? Como um estudante pode abraçar uma especialidade sem escolher modismos?

Os ramos do direito são, notadamente, variados. Procure uma área de atuação compatível com aspectos regionais e locais. De nada adianta tornar-se especialista em direito marítimo se você não mora em um Estado que tenha mar, por exemplo. Tenha cuidado com modismos, mas também abrace as oportunidades. Busque a especialização a partir dos fenômenos locais.

SB- Qual a visão do jovem advogado sobre novas tecnologias? Estão mais receptivos para a Inteligência Artificial nos escritórios? Recebem com entusiasmo mudanças que impactam na advocacia contemporânea?

A modernidade e o imediatismo das informações são constantes na era da Informação Digital. Novas tecnologias muitas vezes são inevitáveis, mas é preciso o cuidado com mecanismos que podem ser capazes de trazer a Inteligência Artificial de forma exagerada para dentro da Advocacia. É importante que a retórica e a argumentação prevaleçam diante da Inteligência Artificial. A máquina não pode ser capaz de substituir uma boa e fundamentada produção textual e jurídica.

(Por Alessandro Manfredini)

Rua Gra Nicco, 113, Bloco 01 cj. 602, Mossunguê
Curitiba - PR - Brasil - CEP 81200-200
Fones: +55 (41) 3018-6951 e 9652-0581
adm@estrategianaadvocacia.com.br
Franquia Mato Grosso do Sul
Av. Afonso Pena, 3.504, Sala 52, Centro
Campo Grande - MS - Brasil - Fone: +55 (67) 99677-7979